Inverno na Serra Catarinense

Postado por: Tatiana Dornelles
teste2

Infinitas blusas, touca, cachecol, protetor de orelhas, luvas, duas calças, três meias e muita (muita!) vontade de conhecer a Serra Catarinense. Só esse último quesito é suficiente para enfrentar o frio abaixo de zero… Então, o post de hoje – além de gelado! – faz parte da blogagem coletiva “Viajando nas Quatro Estações” (#viajandonasquatroestacoes)‬ proposta pelo grupo de blogueiros de viagem Pequenos Grandes Viajantes, do qual fazemos parte no Facebook.

  • Serra do Rio do Rastro

Para quem não conhece, mas quer conhecer, a Serra Catarinense realmente é incrível. O cenário mais belo e surpreendente é a Serra do Rio do Rastro, em Lauro Müller. As curvas são hiper-mega-ultra-fechadas, como cotovelos, e no entardecer a via fica toda iluminada. A estrada, que foi eleita como uma das mais belas e tenebrosas do mundo, pode ser vista do mirante da serra. Mas, sério, coloque muita roupa. Porque, por mais que esteja quente lá embaixo, em cima a coisa muda seriamente.
► Dica essencial: não esqueça de parar no mirante!!!

Elo São Joaquim 151

Serra do Rio do Rastro durante o dia

IMG_7322

Serra do Rio do Rastro ao entardecer

11393303_828226457265451_8623852168652152540_o

Mirante da serra

11406450_828226340598796_8073161948690149082_o

  • Serra do Corvo Branco

Mas também é possível subir pela Serra do Corvo Branco. Atualmente, a rodovia está em obras e até pouco tempo atrás era totalmente de estrada de chão batido, sem proteção nas laterais e com menos curvas que a outra, mas não menos linda ou perigosa. Somente em uma parte da serra era totalmente de concreto – pois é a mais perigosa. Aliás, para quem quer conhecer as duas, basta subir por uma e descer pela outra. #ficaadica
► Dica essencial: faça uma foto entre os paredões de pedra!!!

serra9

Serra do Corvo Branco

serra8

serra7

Paredão de pedra

  • Urubici

Depois de subir a serra, a dica aqui do blog é ir para Urubici. A cidade, uma das mais frias do estado catarinense, tem diversos pontos naturais ainda pouco explorados por turistas. Já contei em um post sobre alguns lugares para conhecer por lá e vale super a pena. Eu, pelo menos, prefiro Urubici a São Joaquim, por exemplo.
A cidade tem inscrições rupestres, há locais com cachoeiras, entre outros. O que mais chama a atenção é o Morro da Igreja, com 1.822 metros de altitude – ponto mais alto habitado no sul do Brasil. Lá, já foram registradas as menores temperaturas do país. Desse morro, é possível observar a pedra furada, uma verdadeira escultura natural em forma de janela, ligando formações rochosas a exuberantes e preservadas matas nativas.
► Dica essencial: para ir no Morro da Igreja é necessário reservar a entrada!!!

serra4

Morro do Campestre, área particular e com pagamento de taxa de entrada

serra2

Mirante com vista para Urubici

IMG_8950

Morro da Igreja, tem entrada restrita e mediante reserva

Pedra Furada, Urubici (SC)

Pedra Furada, no Morro da Igreja, em Urubici

  • São Joaquim

A cidade é conhecida no Brasil inteiro por causa do relógio da praça central. Explico: quando está muito frio, é este relógio que aparece em rede nacional nos noticiários. Além disso, é de praxe molharem as árvores para que congelem, formando um cenário incrível e completamente gelado. Se der sorte, ainda é possível nevar… São Joaquim, na minha opinião, ainda precisa melhorar em diversas questões no turismo, principalmente no que se refere a infraestrutura e rede hoteleira.
► Dica essencial: faça fotografias da paisagem congelada!!!

Gelo em São Joaquim (3)

Foto: São Joaquim Online

Gelo em São Joaquim (2)

Relógio famoso da cidade. Foto: São Joaquim Online

Gelo em São Joaquim (7)

Foto: São Joaquim Online

  • Pinhão

Nos meses de outono e inverno, um produto local chama a atenção dos visitantes: é o pinhão, que no Brasil pode ser encontrado apenas nos três estados do Sul. O pinhão também é indutor de outro tipo de turismo: o de observação de aves. Centenas de gralhas azuis, papagaios-charão e papagaios-de-peito-roxo migram à região nesta época do ano em busca do alimento.
► Dica essencial: experimente o pinhão cozido! É delicioso! E tem ainda uma variedade de receitas…

serra6

Independentemente de onde estiver hospedado – São Joaquim ou Urubici -, as cidades são próximas e é possível aproveitar um dia para conhecer os pontos turísticos. Eu, particularmente, acho Urubici mais charmosa, com mais lugares incríveis para conhecer. Só é necessário levar dinheiro, pois como a cidade é bem pequena em alguns lugares não há débito/crédito e o banco fecha cedo (quando fui não tinha caixa eletrônico 24h).

  • Outra dica essencial – e a mais importante: levar muita roupa (muita mesmo)! É incrivelmente frio na serra catarinense e a sensação é de que a gente vai congelar junto.

Blogs que participaram da blogagem coletiva:

► Destinos por onde andei… – Primavera em Nova York
► Mariana Viaja – Verão na Espanha: passeios em Barcelona e Madri
► Outro blog – Inverno em Banff | Montanhas Rochosas Canadenses
► A Casa na Mala – Qual a Melhor Época do Ano Para Viajar à Europa?
► Por aí com os Pires – Flórida no verão
► Família Viagem – As cores do outono em Seattle
► Pegadas na Estrada – Outono na Islândia, uma estação surpreendente!
► Viajonários – O que fazer na Califórnia no inverno
► Foco no Mundo – Como sobreviver ao inverno europeu
► O Melhor Mês do Ano – O que levar para o Atacama em cada estação do ano
► Escolho Viajar – Patagônia no verão – a melhor estação para a visitar
► Caixa de Viagens – Alpes italianos – onde curtir o inverno nas 5 cidades italianas mais charmosas, badaladas e com estações de esqui na região
► Vaneza com Z – 10 coisas para fazer no Verão em Salvador
► Cantinho de Ná – Como é New York na primavera
► Viagens que Sonhamos – Inverno na Serra Gaúcha
► A Path to Somewhere – 10 lugares para curtir o outono em Nova York
► Mochilão Barato – Mochilando no Inverno Europeu
► Viagens Invisíveis – Inverno em Malta, vale a pena?
► Alyssa Prado Blog – 6 Motivos para visitar Floripa no Inverno
► Viajando em Familia – Orlando no Verão ou Inverno?
► Apure Guria! – Sobrevivendo ao inverno na Nova Zelândia
► #KariDesbrava Cinco lugares para curtir o frio no estado do Rio de Janeiro
► Ligado em ViagemDobel na Alemanha, muita neve na região de Baden-Württemberg
► Pequeno Grande Mundo – Em Manaus é verão o ano inteiro
► The Nat’s Corner – Verão Europeu: O Que Levar na Mala
► Lolepocket – 7 praias do Rio de Janeiro para curtir o verão como os cariocas
► Uma Senhora Viagem – Dois Outonos Diferentes na Europa
► Devaneios de Biela – As Cores e os Contrastes de Cartagena na Primavera
► Baianos no Polo Norte – 10 motivos para visitar Toronto no verão

Fotos: Destino Mundo Afora
Aviao
Gostou?
Então, deixe seu comentário, curta nossa fanpage no Facebook e siga nosso perfil no Twitter e no Instagram.

12 comentários

  1. Adorei o seu post, parabéns! Os lugares são muito lindos!

  2. Eu ficava curiosa pra saber de onde se tirava a foto da estrada sinuosa. Agora sei!rsrs.
    Gosto muito de atrativos naturais e aventura e a Serra Catarinense tá show de bola!

    Amei o post!

    1. Oi Vaneza, realmente o cenário da serra catarinense é lindo! Vale a pena uma visita! E, inclusive, tem parques com rapel, tirolesa, relacionado à aventura. 🙂

  3. Lindas fotos!!
    Não sabia como era o “pé de pinhão”…. kkkk
    Aqui em SP, só comemos pinhão cozido, na panela de pressão…. Muito bom!

    1. Oi Débora, obrigada! A pinha é bastante vendida na serra. Ela se desmancha e cai o pinhão. Superbacana! hehe

  4. Ana Zacchello disse:

    Que demais esse cenário em São Joaquim! Nem parece Brasil! Sou suspeita para falar porque adoro lugares frios, principalmente para comer bem! Ótimas dicas! 🙂

    1. Oi Ana, é realmente lindo! Eu, particularmente, não gosto de frio. Mas gosto muito de visitar a serra no inverno… heheh

  5. Oi, Tatiana!
    Toda meia extra é válida mesmo nesta visita! Tive o prazer de fazer este roteiro (sem São Joaquim) no outono há alguns anos e não lembro de ter passado tanto frio como em Urubici. Mas valeu muito. O lugar é lindo e nos dá belas experiências e registros. Segue o link da minha aventura caso interesse (é só clicar no meu nome!).
    Adorei reviver a serra catarinense no seu relato, parabéns!

    1. Oi Gabi, obrigada! Realmente, no outono às vezes não faz tanto frio… Assim como o próprio inverno, pois temos vivido momentos de aquecimento global e mudanças climáticas nas estações. No entanto, quando faz frio, aí é pra valer… hehehe E vê se volta para aproveitar um pouco mais da nossa serra, né? 😉

  6. Lidiane disse:

    Gente, que lugar maravilhoso!! Não tinha ouvido falar dessa estrada. Acho que não tenho coragem, mas até que deu vontade!

    1. Que bom que gostou! Precisa vir conhecer, hein?? 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Página inicial